Frei Cláudio Abreu

Janeiro/2016 - O ano da Esperança

Publicado por Frei Carlos Roberto Gozzi | 01/01/2016 - 22:04
  • A+
  • A-

O Ano da Esperança

download

O papa Francisco, na mensagem para o Ano da Vida Consagrada, apresenta, no objetivo, que os consagrados (as) devem se voltar para o futuro com esperança.

Orientação muito feliz de nosso Papa a nós consagrados da Igreja. Ele – que também é consagrado (jesuíta) –  sabe muito bem a importância da vida consagrada na Igreja e também o quanto é importante a virtude teologal da esperança.

A virtude da esperança é, para todo o batizado, um dos moventes com a qual fez a opção pelo seguimento de Jesus Cristo, em tê-Lo como o Senhor de sua vida. Cristo  também viveu a esperança na sua vida terrena, no dia a dia junto a sua mãe Maria Santíssima, seu pai adotivo São José, aos seus parentes, amigos, pessoas de sua cidade, aos apóstolos.

A mesma esperança o acompanhou também na vida pública junto às pessoas que a Ele acorriam e às que Ele mesmo ia ao encontro: anunciando o Reino de Deus, curando, aconselhando, convivendo e confrontando-se com os que não queriam entendê-lo.

Iniciamos o novo ano para vivê-lo na alegria, paz, justiça, fraternidade, partilha, solidariedade junto às pessoas, que teremos a graça de encontra, relacionar-nos, ver e conviver.

Creio que, muitas vezes, iremos partilhar um sorriso, ajudar com palavras ou com um olhar, sem despertar ações concretas, mas, sim, apenas verbais.

Será muito bom que tenhamos disposição interior para nos relacionarmos com o outro. Não devemos cultivar bloqueios que nos levam ao fechamento, à excessiva preocupação com os próprios compromissos, passando despercebidas as pessoas e tirando-nos a alegria do viver bem.

É preciso equilíbrio nas ações, assim como Maria na acolhida de Jesus: “Soube escolher a melhor parte e sua atitude foi exaltada por Jesus”. Nossos compromissos do dia a dia deverão ser integrados com tudo o que entraremos em contato. É preciso ser um bom filho de Deus.

É necessária a disposição interior para bem viver e contar com a ajuda de Deus e das pessoas. Viver o ano, que estamos iniciando, ao lado das pessoas, receber e partilhar a vida com elas, servir com a mesma alegria que Senhor nos serviu e serve, deixar-se envolver pela esperança de crescer e dar sentido as nossas ações, valorizar cada ação e celebrar as realizadas através dos sentidos, perceber e interagir no meio onde se vive, tomar decisões fundamentadas nos princípios de nossa vida cristã católica que enriquecerão as nossas ações e relacionamentos.

O ano da esperança poderá ser, para todos nós, graça;  o que faremos dele é nossa responsabilidade. Temos a liberdade de colaborar para que este novo ano seja de paz, justiça, amor, oração e realizações que nos tornarão homens e mulheres melhores. Poderão aparecer cruzes, que são normais na vida do cristão, mas que podem ser integradas no conjunto de nossa vida.

Seria bom se todos nós olhássemos para frente de maneira positiva, refletindo e rezando nossas ações e decisões. Este é o jeito do cristão, sempre pronto ao enfrentamento da vida, tendo como fundamento o amor, a esperança e a fé.

Feliz ano de 2016 e que o Senhor seja nossa força durante do o ano

Fraternalmente.

 

Frei Cláudio Sérgio de Abreu, OFMCap

Ministro Provincial

Frei Cláudio Sérgio de Abreu
Sobre o autor

Frei Cláudio Sérgio de Abreu

Provincial da Província do Paraná e Santa Catarina