• Frei Serafim Boschetti

    18/03/1916

    25/04/1990

    Frei Serafim Boschetti

    Trav. São Virgílio - Caxias do Sul - RS

     

    Frade bondoso, pacífico, serviçal, forte. Fez o transporte do material de construção, utilizado na obra do antigo Seminário de Vila Flores e do atual Seminário São José,Veranópolis.

     

    Registro
    Entrou no Seminário Seráfico São José, Veranópolis, no dia 26.09.1928. No convento Sagrado Coração de Jesus, em Flores da Cunha, fez o postulantado e o noviciado. Professou no dia 03.08.1935, ocasião em que recebeu o nome de frei Serafim de Caxias do Sul. Foram seus mestres, Frei Exupério de la Compôte e Frei Cláudio Mocelini. Em 15.08.1938, professou solenemente, no Convento São Francisco de Assis, em Garibaldi. Inicialmente foi recepcionista e horticultor (1935 a 1946), em Veranópolis, Caxias do Sul, Vacaria, Marau, Soledade e Ipê. Passou a ser motorista e tratorista (1947 a 1971), no Seminário Seráfico São José, em Veranópolis. Foi quem transportou o material para a construção do Seminário de Vila Flores. Após, em 1972 e de 1976 a 1990, na Granja Fátima, Ipiranga/RS. Seu quadro de saúde inspirava cuidados e, em março de 1990, foi internado no Hospital Pompéia, Caxias do Sul. Vitimado pela bronquite virótica e isquemia cerebral (AVC), faleceu no dia 25.04.1990. Contava 74 anos. A missa de corpo presente, foi concelebrada, por 33 sacerdotes, na Igreja Matriz da Imaculada. Foi sepultado no Cemitério Parque, quadra 02, túmulo 94, em Caxias do Sul - RS.

     

    Informações pessoais
    FORTUNATO BOSCHETTI, filho de Luis Boschetti e de Emelia Aver Boschetti, foi registrado no dia 18.03.1916, mas de fato, havia nascido no dia 13.02.1916.

  • Frei Marcelo Bianchi

    29/08/1898

    26/04/1972

    Frei Marcelo Bianchi

    Nova Prata - RS

     

    Destacou-se como pastoralista e por duas vezes Diretor do Jornal Staffeta Riograndense (hoje Correio Riograndense), quando editado em Garibaldi.

     

    Registro
    Ingressou no Seminário Seráfico (então Escola Seráfica) de Alfredo Chaves em abril de 1910. Vestiu o hábito Capuchinho em Nova Trento, hoje Flores da Cunha, no dia 28.01.1916, assumindo o nome de Frei Marcelo do Prata. Tendo como mestre frei Exupério de la Compôte. Professou no dia 18.02.1917, no mesmo local. Em São Leopoldo, no dia 02.02.1926, foi ordenado presbítero por Dom João Becker. Iniciou em Veranópolis, onde, por oito anos consecutivo atuou como professor. Após, trabalhou em Flores da Cunha, Lagoa Vermelha, Marau, Cacique Doble, Garibaldi, Porto Alegre, Sananduva, Vila Flores, Esmeralda, Bagé. Atuando como coadjutor e na pastoral. De 1958 a 1972, em Praia Grande, Imaruí, e Maracajá (SC). Frei Marcelo, faleceu no dia 26.04.1972, de infarto, com 74 anos. Foi sepultado no jazigo dos Frades Capuchinhos, em Praia Grande /SC

     

    Informações pessoais
    ANTONIO FRANCISCO BIANCHI, filho de Isaias Bianchi e de Judith Granzotto.

  • Frei João Batista Roncato

    15/05/1908

    27/04/1946

    Frei João Batista Roncato

    Veranópolis - RS

     

    Religioso fervoroso e fiel seguidor de São Francisco. Observador rigoroso da Regra Seráfica . Destacou-se como missionário popular.

     

    Registro
    Em fevereiro de 1921, ingressou no Seminário Seráfico (Veranópolis), onde fez seus estudos ginasiais. Pelas mãos do mestre, Revdo. Pe. frei Exupério de la Compôte recebeu o hábito religioso, no dia 04.08.1925. No dia 20.08.1926, professou . Seus estudos filosóficos e teológicos, foram no Convento São Francisco em Garibaldi nos anos de 1930 a 1935. Foi ordenado sacerdote por Dom João Becker, em Porto Alegre, no dia 28.10.1935. Atuou em Porto Alegre (Partenon), por oito anos (1935 a 1943), como vigário cooperador, sendo neste espaço, por um ano Capelão do ginásio do Rosário. Em janeiro de 1944 passa a atuar como Missionário (realizaçao de um sonho), percorrendo o estado do RS e Santa Catarina. Sua voz retumbante, seu coração quente, sua alma apostólica, foram fatores da conquistas e conversões. Foi neste período, também, surpreendido pela cruel doença do tifo. Debilitado, e febril em Joaçaba(SC). EmTangará(SC) despreza a canseira e a febre esvae à conquista de almas. Vencido e extenuado recohe-se ao leito, Os fiéis o aguardam na Igreja, alguém o chama, num grande esforço ministra o último pãozinho da palavra divina. Ao terminar a missão, a febre alta(41graus), faz com que seja transferido para o Hospital Pompéia em Caxias do Sul. Duas semanas passaram, quando o anjo da morte, na madrugada de 27.04.1946, veio colher sua alma. Contava 38 anos. Sua morte causou consternação profunda entre os fiéis e em toda a a Província. Seu sepultamento foi uma consagração. As exéquias, foram presididas por Dom José Baréa, bispo de Caxias do Sul, presentes 25 sacerdotes capuchinhos, muitos do Clero Diocesano, diversos colégios, OTF. Foi sepultado no Cemitério Parque, quadra 02, setor 11, jazigo 100, em Caxias do Sul - RS

     

    Informações pessoais
    THIAGO BENJAMIM RONCATO, filho de Casemiro Roncato e Eliza Bona . Foi batizado na Igreja Matriz São Luiz Gonzaga, três dias após o nascimento (18.05). e Crismado no dia 1º de abril de 1910, por Dom João Becker.

  • Frei Ruquilaino Gonçalves

    06/08/1979

    27/04/2003

    Frei Ruquilaino Gonçalves

    Liberato Salzano - RS

     

    Destacava-se pela simplicidade e humildade. Com seu jeito de ser, alegrava o ambiente onde se encontrava.

     

    Registro
    Ingressou na Casa de Formação São Geraldo (Ijuí), em 20 de janeiro de 1996, sendo recebido por frei Geraldo Paludo. O Postulado, no Casa Bom Pastor (Caxias do Sul). Em Pelotas, o noviciado e a Profissão Temporária, no dia 22.01.2000. Após a profissão, foi nomeado para a Fraternidade Santo Antonio, Vila Flores. Em 2001 iniciou o curso de filosofia na UniFra, em Santa Maria, residindo na Casa de Formação Divino Mestre. Atuava junto as comunidades da paróquia N. Sra de Fátima, nas áreas da catequese, juventude, pastoral carcerária, conselhos e na coordenação de celebrações, quando o padre não estava. Nas comunidades tinham um carinho e uma admiração especiais por ele. Segundo o pároco, frei Cleonir Dalbosco, "era um jovem dedicado, olhava para a frente. Planejava seu futuro como sacerdote". Era sábado, dia 26.04.2003, às 19h30min, envolveu-se num acidente, colidindo a moto que pilotava com um caminhão, na BR 287, na Vila Urlândia, Santa Maria. Internado na CTI do Hospital de Caridade em Santa Maria, não resistiu ao traumatismo craniano, faleceu às 20h30min, deste mesmo dia. Foi sepultado no jazigo dos familiares na Capela Nossa Senhora Aparecida, Linha do Peixe, em Liberato Salzano, no dia 27.04.2003 às 16h30min. Contava apenas 23 anos.

     

    Informações pessoais
    RUQUILAINO GONÇALVES, Filho de Osvaldo Gonçalves e de Cleusa Fátima Gonçalves

  • Frei Silvestre Bizzotto

    15/02/1932

    28/04/1990

    Frei Silvestre Bizzotto

    Ipê - RS

     

    Destacou-se na apicultura e hortifruticultura. Foi um dos pioneiros em Pimenta Bueno e Porto Velho(RO). É o primeiro frade falecido na Vice-Província Brasil Oeste.

     

    Registro
    Ingressou no Seminário Seráfico São José, Veranópolis, no dia 03.01.1944. Fez o postulantado e o noviciado no Convento Sagrado Coração de Jesus, Flores da Cunha, onde professou no dia 06.01.1950, e passou a chamar-se Frei Silvestre de Antônio Prado. Sua profissão solene, deu-se no dia 02.02.1953, pelas mãos do frei Sílvio Armiliato, em Garibaldi. Frei Silvestre, residiu nos conventos de Garibaldi, Caxias do Sul, Ipê, Veranópolis. Trabalhando como cozinheiro, nos dois primeiros e, após, como apicultor, avicultor e horticultor. Neste último ítem, iniciou uma obra pioneira, em Veranópolis, visando a Promoção humana das famílias carentes. Incentivava as hortas caseiras, dando cursos de Horticultura para os pobres; 1 hora prática e 2 horas teóricas semanais. Junto com isto, ele anunciava, com entusiasmo, a Jesus Cristo. Em 1985, passa a atuar, na Frente Missionária MT-RO, chega e Pimenta Bueno(RO), juntamente com outros pioneiros, frei Danilo Pagliari, frei Alceu Boniatti e frei Udolino Falavigna. Marca a comunidade pelo testemunho de fé e de evangelização direta e inserida, ação social, pastoral e trabalho. Seu trabalho de pastoral: amava os pobres, rezava por eles, visitava-os e procurou ensiná-los a se defender da fome e desemprego, mediante o cultivo da hortas, técnicas de cozinha e de associação, (pequenos grupos), onde procuravam ajudar-se mediante reflexão bíblica, artesanato e práticas cooperativistas. Demonstrou que era possível, cultivar hortifruti e apicultura, quando ninguém acreditava que fosse. Em janeiro de 1990, assume em Porto Velho(RO), juntamente com frei Danilo Domingos Pagliari, a Paróquia Perpétuo Socorro, trabalhando na pastoral e serviços gerais. Na madrugada do dia 23 de abril, frei Silvestre e frei Danilo, viajavam de Porto Velho para a cidade de Pimenta Bueno, onde participariam do capítulo local. Um acidente com o ônibus que viajavam, causou algumas escoriações em frei Danilo, mas frei Silvestre sofreu fratura na coluna, na sétima vértebra e um corte na cabeça. Foi levado de avião, até Cuiabá, ficou hospitalizado alguns dias, mas não resistiu devido a gravidade dos ferimentos. Faleceu no dia 28.04.1990 ás 12horas. - Contava 58 anos. Seu corpo retornou a Pimenta Bueno, atendendo ao seu desejo de lá ser sepultado. Dizia ele "onde, com certeza, vou ser recordado e irão rezar muito por mim". No dia de seu enterro, o povo simples e pobre de Pimenta Bueno trouxe verduras e mel e com eles ornamentaram o altar da celebração, o caixão e o túmulo no cemitério. Era a gratidão do povo pobre e a comprovação da sabedoria de um pobre que amava os pobres. (Seg. frei Carlos Zagonel).

     

    Informações pessoais
    VALENTIN BIZZOTTO, filho de Pedro Bizzottoe Angela Saretta.

Ver Mais