Igreja
Igreja

Após atentados aos cristãos, Papa Francisco visita o Egito nesta Sexta-Feira (28)

27/04/2017 - 21h30
  • A+
  • A-
Mesmo após os ataques feitos aos cristãos no dia 09 de abril, o Papa manteve sua viagem num gesto de Fraternidade e Comunhão
Fonte: Divulgação

Nesta quinta-feira (27), o Papa Francisco, em sua homilia, afirmou que a vida do cristão não é um status, mas um testemunho. A exemplo disso, o Papa realizará nesta sexta (28), uma viagem ao Egito, para o Cairo, onde no dia 09 de abril, com um atentado às Igrejas de Tanta e Alexandria, vários cristãos foram feridos e mortos, o atentado foi reivindicado pelo Estado Islâmico. Sobre o atentando, o Santo Padre fez uma prece, pedindo que “o Senhor converta os corações daqueles que semeiam o terror, a violência e a morte e também o coração daqueles que fabricam e fazem comércio com as armas”.

Os cristãos no Egito correspondem a 10% da população e são alvos constantes dos ataques dos extremistas islâmicos, com sua visita, o Santo Padre quer também mostrar para os Cristãos que a Igreja Católica está com eles, mesmo em meio às turbulências e assim, também o próprio Cristo.

Esta viagem, que é a 27ª internacional do pontificado de Francisco, acontece pelo convite do presidente do país, Abdel Fattah El-Sisi, dos bispos da Igreja Católica, do Papa da Igreja Ortodoxa Teodoro II e do grande imã da Mesquita de Al Azhar, Cheikh Ahmed. Sua estadia será de apenas 27 horas, onde ele fará 5 discursos.

Neste momento, unam-se os cristãos em oração para que sua visita seja de fato um sinal de fraternidade e unidade, e que os seguidores de Cristo presentes naquelas terras encontrem nos cristãos de todo o mundo forças para permanecerem fiéis a Deus que pede antes de tudo que seja promovido o amor, a paz e o bem.


Veja o trajeto do Papa:

O Papa deverá partir do aeroporto romano de Fiumicino na sexta-feira às 10:45 (09:45 em Lisboa) e chegará ao Cairo às 14 horas locais (13:00 em Lisboa) para um primeiro encontro com o chefe de Estado, Abdelfatah al Sisi.

Francisco irá depois à instituição egípcia de Al Azhar, que dita a doutrina sunita, onde visitará Ahmad al Tayeb, o imã da Mesquita.

A jornada de sexta-feira continuará com um encontro com membros do Governo, com representantes do corpo diplomático e das universidades e cultura.

O dia terminará com a visita de cortesia de Francisco ao papa copta ortodoxo, estando prevista uma oração ecuménica pelas vítimas dos atentados contra os cristãos.

No sábado, o papa celebrará missa no Estádio do Exército Egípcio e almoçará com os bispos e com o clero.

O regresso do Papa ao Vaticano está previsto para as 17 horas locais (16 horas em Lisboa).


Também hoje, o Papa emitiu uma mensagem vídeo falando ao povo do Egito, confira:

“Com o coração repleto de júbilo e gratidão, virei dentro de poucos dias visitar a vossa querida Pátria: berço de civilização, dom do Nilo, terra do sol e da hospitalidade, onde viveram Patriarcas e Profetas e onde fez ouvir a sua voz o Deus Clemente e Misericordioso, Omnipotente e Único”

“Estou verdadeiramente feliz por vir como amigo, como mensageiro de paz e como peregrino ao País que, há mais de dois mil anos, ofereceu refúgio e hospitalidade à Sagrada Família, quando teve de fugir das ameaças do rei Herodes (cf. Mt 2, 1-16). Sinto-me honrado em vir à terra visitada pela Sagrada Família! ”.

“Saúdo-vos cordialmente e vos agradeço por me terdes convidado a visitar o Egito, por vós designado «Umm il Dugna (Mãe do universo)». Agradeço vivamente ao Senhor Presidente da República, a Sua Santidade o Patriarca Tawadros II, ao Grande Imã de Al-Azhar e ao Patriarca Copto-Católico, que me convidaram; e agradeço a todos e cada um de vós que me dais espaço nos vossos corações. Obrigado também a todas as pessoas que trabalharam, e estão a trabalhar, para tornar possível esta viagem”.

“Desejo que esta visita seja um abraço de consolação e encorajamento a todos os cristãos do Médio Oriente; uma mensagem de amizade e estima a todos os habitantes do Egito e da Região; uma mensagem de fraternidade e reconciliação para todos os filhos de Abraão, particularmente ao mundo islâmico onde ocupa lugar de destaque o Egito. Faço votos de que possa ser uma válida contribuição também para o diálogo inter-religioso com o mundo islâmico e para o diálogo ecuménico com a venerada e amada Igreja Copto-Ortodoxa”.

“O nosso mundo, dilacerado por uma violência cega, que feriu também o coração da vossa amada terra, precisa de paz, amor e misericórdia; precisa de obreiros de paz e de pessoas livres e libertadoras, pessoas corajosas que saibam aprender do passado para construir o futuro sem se fechar nos preconceitos; precisa de construtores de pontes de paz, de diálogo, de fraternidade, de justiça e de humanidade”.

“Queridos irmãos egípcios, jovens e idosos, mulheres e homens, muçulmanos e cristãos, ricos e pobres! Abraço-vos cordialmente e peço a Deus Omnipotente que vos abençoe e proteja o vosso País de todo o mal”.

Por favor, rezai por mim. Shukran wa Tahiaì Misr (Obrigado e Viva o Egito)! 

Fonte Capuchinhos do Brasil /CCB
Por Frei Elton Caires Santos (Cúria Provincial)